3 passos para fazer uma logística de distribuição de alimentos

Trabalhar com armazenamento e distribuição de alimentos requer um cuidado especial dos colaboradores que realizam o seu planejamento logístico. A atenção redobrada é necessária, mesmo quando se trata de alimentos não perecíveis.

Além dos prejuízos financeiros, as falhas no processo logístico podem acarretar em problemas graves de saúde pública, caso o alimento chegue ao consumidor final em condições inadequadas de consumo. Por esses motivos, o empreendedor que trabalha no setor de alimentação deve seguir alguns passos na hora de fazer o seu planejamento logístico.

Entender as dicas de quem já atua na área é essencial para aumentar a eficiência da cadeia logística e evitar os problemas decorrentes da inexperiência e da organização inadequada

Confira agora os 3 passos para fazer uma logística de distribuição de alimentos.

Passo “zero” – Treinamento e Equipamentos 

Antes de falar sobre a logística de distribuição em si, vale tratar do tema que influencia diretamente na maneira como os demais processos serão executados. Trata-se do treinamento de pessoal e da utilização de equipamentos adequados ao processo logístico.

De nada adianta você oferecer o melhor produto, se o estoque e a distribuição forem inadequados ao seu modelo de negócio.

Na hipótese dos seus colaboradores não saberem lidar com o planejamento original ou caso o equipamento não dê conta da tarefa, você terá um gargalo na logística da sua empresa:

10% do faturamento bruto.

Esse é o valor que o setor de alimentos e bebidas gasta com logística, segundo estudos da Fundação Dom Cabral, realizados em 2017.

O percentual é apenas uma média, pois os gastos são ainda maiores com produtos perecíveis ou refrigerados.

Assim, vale a pena ressaltar: invista em treinamento de pessoal e no equipamento adequado as suas necessidades logísticas.

A “mordida” que a logística dá no seu orçamento é relevante demais para ser tratada como assunto secundário no planejamento empresarial.

Passo 1 – Acondicionamento

O primeiro passo na hora de planejar a logística distributiva é pensar na melhor maneira de acondicionar ou embalar o produto.

Normalmente, a embalagem primária faz parte do processo de desenvolvimento do produto. O mais importante, neste caso, é seguir fielmente as instruções do produtor.

Especialistas de logística indicam que o acondicionamento possui cinco níveis de atenção:

  • Primeiro nível: é aquele que está em contato direto com o alimento e possui função primordial para a sua conservação. Ele indica a unidade de medida do alimento (ex: lata de cerveja);
  • Segundo nível: é o acondicionamento em bandejas, embalagens plásticas ou cartonadas que agrupam elementos do primeiro nível (ex: plástico do fardo de cerveja);
  • Terceiro nível: geralmente de papelão ou madeira, engloba diversos elementos de segundo nível. Possui uma resistência superior (ex: caixas de papelão ou madeira);
  • Quarto nível: agrupamento de embalagens de terceiro nível em paletes que, por sua vez, também podem ser embalados para maior proteção;
  • Quinto nível: serve para transportes de maior distância. Incluem embalagens especiais e contêineres.

Dependendo do plano de verticalização do seu negócio, você poderá ser responsável por uma ou mais etapas do acondicionamento.

Tenha atenção ao tipo de produto que você distribui e organize o acondicionamento de forma a conservar as características originais dos alimentos.

Passo 2 – Armazenagem

O estoque e armazenamento dos alimentos devem ser feitos de forma adequada. Quais os objetivos? Otimizar o espaço utilizado e conservar as características originais dos produtos.

Costumeiramente, o espaço deve ser organizado de maneira a seguir o sistema FEFO (first expire, first out), no qual o primeiro produto que vence é o primeiro produto que sai.

Para que você consiga planejar a logística de distribuição de alimentos, também é preciso observar algumas práticas reconhecidas do setor, como:

Códigos de Barra

Existem diversos sistemas de código de barras que podem ser implementados no sistema de logística.

Além de facilitar a organização e permitir a automatização do estoque, os códigos de barras deixam os alimentos em conformidade com os requisitos estabelecidos em lei.

Produtos perecíveis ou refrigerados

Produtos perecíveis necessitam de uma estratégia logística altamente eficiente. Não há espaço para erros: problemas de estocagem ou distribuição resultarão em perdas consideráveis.

No caso dos produtos refrigerados, o mais importante é ter conhecimento das temperaturas mínimas e máximas de armazenamento, bem como cuidar para que o produto jamais ultrapasse tais limites.

Ventilação

O espaço no qual os alimentos ficam armazenados deverá contar com espaçamento entre os paletes, de maneira a permitir a circulação adequada de ar.

Higiene

Quando se trata de armazenamento de alimentos, a higiene é fundamental para a manutenção da qualidade dos produtos. Desta maneira, invista em higienizações periódicas do local de estocagem, de maneira a conservar os produtos da forma correta.

Passo 3 – Transporte 

O transporte é a última fase da logística de distribuição de alimentos. O problema desse passo é que, a depender do seu modelo de gestão de negócios, o transporte pode ficar a cargo de terceiros.

Se você não é responsável pelo transporte, tenha a certeza de contratar uma empresa capacitada para lidar com o seu produto.

No Brasil, país que utiliza majoritariamente o modal rodoviário, ainda é preciso pensar nas ruas, avenidas e estradas de asfalto precário que culminam na maior movimentação das cargas dentro do caminhão. Nesta fase, é importante garantir que a movimentação dos paletes não acarrete em danos aos alimentos.

Aqui, você deverá observar algumas situações:

  • Invista na utilização de paletes: além da organização, eles auxiliam no transporte seguro da carga;
  • O acondicionamento correto é de extrema importância para diminuir as perdas;
  • A climatização da carga nos transportes a longa distância merece atenção especial;
  • Embarque e desembarque devem ser realizados por profissionais capacitados, evitando movimentações bruscas na carga.

Como você pode observar, todas as fases da logística de distribuição de alimentos são interligadas. Deste modo, a empresa necessita de um plano sólido para que os seus esforços comerciais não sejam perdidos através de práticas logísticas inadequadas.

Você sabe o que é um palete e como ele auxilia no processo de armazenagem? Clique aqui e entenda a sua importância para a logística.

Veja mais sobre logística!

Gostou do texto? Ótimo!

Se você tem interesse em assuntos relacionados à logística, dê uma conferida no blog da Stokki.

Lá, você encontrará diversos outros conteúdos sobre armazenagem, estoque, lojas virtuais e e-commerce fulfillment.

Se quiser soluções em armazenagem e logística, visite o site da Stokki e fale com um de nossos especialistas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.