Conheça os principais custos logísticos e a sua inter-relação

A logística é o setor responsável pelo suprimento e distribuição de insumos e mercadorias e engloba todas as atividades de movimentação e armazenagem, que vão desde a aquisição da matéria prima até o produto acabado ser entregue ao cliente final

É, então, a logística a responsável pelo planejamento e gerenciamento das atividades de transporte, armazenamento e abastecimento de mercadorias até chegar ao seu destino.

Segundo estudo da Fundação Dom Cabral, realizado em 2018, com 130 grandes empresas brasileiras, os custos logísticos consomem, em média, 12,37% da receita das organizações brasileiras, sendo que o transporte de longa distância é o custo de maior peso dentre os analisados.

Diante de tamanha representatividade, é essencial que as empresas conheçam quais são os custos que compõem a atividade logística, como se relacionam e como podem ser melhor geridos, otimizados e reduzidos.

O que são custos logísticos?

Os custos logísticos envolvem todos os processos necessários para a movimentação de um item dentro da cadeia de suprimentos, começando por sua aquisição e terminando na entrega ao cliente final. 

A logística representa um dos maiores componentes de custo de uma empresa e são derivados, em sua maioria, das seguintes atividades: aquisição, transporte, estoque, armazenagem, embalagem, junto com os custos administrativos e financeiros inerentes à operação. 

Por abranger os principais processos responsáveis por agilizar a produção, o abastecimento e a entrega ao consumidor e ser um diferencial competitivo para as empresas, o grande objetivo da gestão logística é atingir o maior nível de serviço, ao menor custo possível, mesmo que um fator aumente em proporção ao outro. O grande desafio é, então, encontrar um ponto de equilíbrio entre o nível de serviço e os custos aplicados, o que pode variar de acordo com as exigências e características de cada setor.

É comum as empresas analisarem os custos logísticos em categorias muito vastas, que não exprimem os reais valores de cada serviço, dificultando, assim, a resolução de problemas e diminuindo a possibilidade de otimização dos processos. Por isso, é importante conhecer o que cada operação representa na cadeia de suprimentos e de que forma afeta o nível de serviço, as despesas e umas às outras.

Principais custos logísticos

Os principais custos logísticos provêm dos seguintes processos:

Aquisição

O custo de aquisição envolve a cotação e a compra do produto em si ou de insumos necessários para a produção. Nele está incluído o processo de seleção e negociação com os fornecedores e todo o gasto que envolve a realização do pedido, como despesas administrativas, operacionais e com pessoal.

Transporte

O custo do transporte é o que, via de regra, representa o maior percentual dos custos logísticos, principalmente no Brasil, que utiliza o modal rodoviário como principal e, muitas vezes, única alternativa. Essa operação é responsável pela entrega do produto nos pontos destinados na cadeia de suprimentos.

Alguns fatores que estão dentro do custo do transporte são: aquisição de veículos, manutenção e depreciação da frota, salários, combustível, seguros, gestão de documentação, entre outros.

Estoque

O custo do estoque envolve o valor do estoque em si, que se encontra imobilizado e, assim, impossibilitado de ser investido em outras áreas, além das despesas para a sua manutenção.

Estão contemplados dentro do custo do estoque o valor de seguros, perdas, danos e obsolescência dos produtos.

Custo de ruptura de estoque

Outro fator importante que está dentro desse escopo é o chamado custo de ruptura de estoque ou custo de falta, que é contabilizado quando há a falta de um produto em estoque no momento em que o pedido é feito pelo consumidor

Embora exista um cálculo para encontrar esse fator, é difícil mensurar o seu real impacto no total de vendas de um negócio, pois pode levar o cliente a tomar diferentes ações, com níveis de perda variáveis, como desistir da compra, comprar da concorrência ou, no caso mais extremo, não querer mais comprar da empresa. 

De qualquer forma, é um fator que deve ser levado em consideração, pois influencia na receita, no nível de serviço que a companhia pretende atingir e na fidelização de seus consumidores.

Armazenagem

No custo de armazenagem deve estar previsto todos valores investidos para armazenar e movimentar os produtos em estoque.

Entre eles estão: o valor do espaço para armazenagem (armazém, galpão, barracão, centro de distribuição) e custos associados a ele, como luz, água, impostos, manutenção; estrutura física de armazenamento (porta paletes, cantilever, flow rack, entre outros); máquinas (empilhadeiras, robôs…), sistemas de automação e equipe para movimentar os produtos.

Os valores investidos em armazenagem são refletidos diretamente na manutenção da qualidade do produto, durante seu período de estocagem. Se forem armazenados em um local limpo, com temperatura, estrutura e organização adequadas, é mais fácil preservar as propriedades das mercadorias e diminuir o risco de avarias e perdas. 

Embalagem

O custo despendido com as embalagens pode parecer secundário, mas se não for aplicada a proteção adequada ao estágio em que o produto se encontra e às suas necessidades de conservação, pode acarretar em danos durante o período de armazenagem e/ou de trânsito.

Existem embalagens para diferentes níveis do ciclo da cadeia de suprimentos, seja para transporte, armazenamento ou comercialização, assim como para diferentes tipos de produtos.

As embalagens além de serem um atrativo nas prateleiras, nas fases primárias do ciclo logístico, podem resultar em economias ao otimizar melhor o espaço dentro dos armazéns e dos veículos de transporte.

Administrativo e financeiro

Dentro dos custos administrativos e financeiros estão previstos os tributos que incidem sobre as atividades logísticas, como ICMS, IPI, CSLL, entre outros, além dos encargos trabalhistas dos funcionários, comum a todos os negócios.

Aqui entram também os valores necessários para manter a operação funcionando de maneira adequada e para melhorar o desempenho das atividades, como para a manutenção de estruturas físicas, equipamentos e tecnologias; seguros; implantação de sistemas de automação; investimentos em melhorias nos processos, na infraestrutura, na capacitação da equipe, em novas tecnologias e softwares.

A inter-relação dos custos logísticos

Como visto, muitos são os custos existentes para a cadeia logística funcionar apropriadamente, visando atingir o maior nível de serviço, ao menor valor despendido.

A ideia de separá-los em setores distintos e conhecer o que é investido em cada área, tem o intuito de possibilitar um melhor conhecimento do impacto de cada um sobre o negócio e a consequente adoção de melhores estratégias de gestão, já que há uma inter-relação entre eles.

É sabido que os custos de transporte, estoque e armazenagem são os mais representativos na cadeia de suprimentos, só que a sua relação muitas vezes é oposta.

Um exemplo são o custo de transporte e o custo de estoque que se relacionam de maneira inversa. Normalmente, ao aumentar o valor investido em estoque, a consolidação da carga poderá ser maior e o número de deslocamentos, menor. Porém, quando se aumenta o nível de estoque, aumenta-se também o valor investido na sua aquisição, no capital imobilizado e na necessidade de mais espaço para armazenagem.

No caso dos armazéns e centros de distribuição, também há uma relação inversa no tocante ao transporte. Aumentando o número de armazéns, estrategicamente posicionados mais próximos dos pontos de consumo, diminui o trecho de deslocamento necessário para alcançá-los. Entretanto, há um limite para isso, pois em dado momento, o aumento de número de armazéns ou CDs, pode também aumentar o número de transportes.

Outra relação oposta existente é no custo das embalagens e nos prejuízos causados por perdas e danos. Com o aumento do valor investido em embalagens adequadas e de qualidade para a proteção dos produtos, o valor despendido com perdas e danos tende a cair. 

Como podemos ver, a gestão dos custos logísticos é complexa, mas fundamental para uma empresa ser mais rentável e competitiva. Encontrar o ponto de equilíbrio entre toda a composição de custos exige muito conhecimento dos números e indicadores de cada área, para, assim, conseguir fazer uma avaliação apropriada e descobrir o melhor balanço para cada caso.

Gostou desse texto? Quer ler mais artigos sobre gestão logística, de estoque e armazenagem. Então acesse o blog da Stokki.

Procurando otimizar a sua cadeia de suprimentos e fortalecer a sua rede de distribuição? Encontre os melhores fornecedores para o seu negócio na plataforma Stokki.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.